Meio Ambiente

Palestra Gestão e Gerenciamento dos Resíduos da Indústria Moveleira

Palestra Gestão e Gerenciamento dos Resíduos da Indústria Moveleira 292 204 Ciclo Ambiental

No dia 21/07/2010 aconteceu no auditório da SINDIMOL (SINDICATO DAS INDÚSTRIAS DA MADEIRA E DO MOBILIÁRIO DE LINHARES E REGIÃO NORTE) em Linhares às 18 h a palestra sobre Gestão e Gerenciamento dos Resíduos da Indústria Moveleira.

Colaboradores e Gerentes das indústrias moveleiras que lidam diretamente com resíduos perigosos formaram o público alvo desse evento.

A palestra teve como objetivo capacitar os participantes para o correto gerenciamento dos resíduos perigosos gerados pelas empresas moveleiras. Temas como, Legislação Ambiental Pertinente aos Resíduos Sólidos, Gestão e Gerenciamento de Resíduos, Impactos Ambientais Causados por Resíduos Gerados na Indústria Moveleira, Segregação, Acondicionamento, Tratamento e Disposição Final dos Resíduos, entre outros, foram assuntos abordados nesse encontro.

Para ministrar os temas da palestra, o evento contou com a participação de colaboradores da Ciclo Ambiental: o Especialista em Direito Ambiental, Elilton Manoel de Moura; das Analistas Ambientais, Milena Milleri Pinto e Ludmila Esteves de Oliveira Costalonga; Estagiária, Fabiana de Moura Baitella e do Técnico em Meio Ambiente, Bruno Henrique Bissoli.

A equipe da Ciclo Ambiental agradece a participação de todos, e enfatiza que sua contribuição é muito importante para a melhoria da qualidade ambiental das empresas.

Importância do gerenciamento de resíduos industriais

Importância do gerenciamento de resíduos industriais 910 910 Ciclo Ambiental

Os resíduos industriais são atualmente considerados uma problemática ambiental, devido ao grande volume gerado, a presença de materiais perigosos ao meio ambiente e à saúde pública e à dificuldade crescente de se conseguir áreas para a sua disposição. Assim torna-se importante para a indústria conhecer a caracterização dos resíduos por ela gerados, principalmente quanto a sua periculosidade, as formas adequadas de armazenamento, transporte e disposição.

Em contraste com essa problemática ambiental atualmente a técnica de disposição no solo (aterro) não é a alternativa mais recomendada para a disposição de resíduos, principalmente em relação aos resíduos perigosos.

A medida inicial deve ser a redução máxima da geração, e depois a reciclagem. A partir daí deve-se administrar seu armazenamento, tratamento e disposição final. O tratamento processa o resíduo para reduzir o seu volume, sua mobilidade, e/ou sua toxicidade, de forma a facilitar, e tornar mais seguro a sua recuperação, armazenamento ou transporte. Os tratamentos atuais incluem processos que destroem, imobilizam ou separam resíduos.

A disposição no solo sempre é necessária em alguma extensão. Neste caso, os resíduos devem ser seguramente isolados do ambiente, em aterros localizados em áreas geologicamente favoráveis, e adequadamente projetados, operados e monitorados. Essa disposição de resíduos perigosos deve ser direcionada para a redução máxima de sua geração.

Essa disposição inadequada dos resíduos acaba acarretando a degradação do ar, da água e do solo, sendo que neste último ocorrerá sua contaminação, podendo chegar a atingir lençóis freáticos através da lixiviação diminuindo os recursos naturais disponíveis.

Renovação de Licença de Operação

Renovação de Licença de Operação 150 150 Ciclo Ambiental

Ribeirão das LajesRenovação de Licença de Operação (LO): após a instalação dos equipamentos e toda a infra-estrutura necessária à operação do empreendimento, bem como a implantação dos sistemas de controle de poluição hídrica, atmosférica, de resíduos sólidos, ruídos e vibrações, a Licença de Operação é emitida, permitindo o início das atividades operacionais. Esta licença tem validade que varia de 04 (quatro) a 06 (seis) anos.

Na renovação da Licença de Operação (LO) de uma atividade ou empreendimento, o órgão ambiental competente poderá, mediante decisão motivada, aumentar ou diminuir o seu prazo de validade, após avaliação do desempenho ambiental da atividade ou empreendimento no período de vigência anterior, respeitados os limites estabelecidos no inciso III, art. 18 da Resolução 237/97.

A renovação da Licença de Operação (LO) de uma atividade ou empreendimento deverá ser requerida com antecedência mínima de 120 (cento e vinte) dias da expiração de seu prazo de validade, fixado na respectiva licença, ficando este automaticamente prorrogado até a manifestação definitiva do órgão ambiental competente.